MONARQUIA TRADICIONAL

Nós seremos livres, nosso rei será livre, nossas mãos nos libertarão
 
InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Login  

Compartilhe | 
 

 Questão teológica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
vm
Capitão de Mar e Guerra
Capitão de Mar e Guerra


Número de Mensagens : 29
Data de inscrição : 10/01/2007

MensagemAssunto: Questão teológica   Seg 23 Jul - 18:10:35

Depois de ver um documentário sobre uma espécie de hominideo bastante próxima da nossa, e como resultado da minha formação como biólogo acho, uma questão surgiu na minha mente...

O homem evoluiu ao longo de bastante tempo, surgindo e desaparecendo várias espécies de Homo e algumas até fora deste género e que o antecederam.

Apesar da evolução não ser uma coisa propriamente linear, o facto é que populações destes hominideos foram dadno origem (passo a expressão) a outras com características diferentes, mais evoluídas por exemplo no domínio cognitivo. Até aqui tudo bem.

O problema é o seguinte, se outras espécies de hominideos tinham já a capacidade de senvolver ferramentas, como o Homo erectus por exemplo, e eventualmente alguma percepção religiosa ou de formas de proto-religião terão estes 'homens' a capacidade de se salvar, à luz da doutrina da Igreja?

Ainda mais complicado é o caso de espécies que viveram lado a lado e podem até ter-se cruzado com o Homo sapiens como aconteceu possivelmente com o Homo neanderthalensis (cf. 'menino do lapedo'). Não são claramente animais, nem sequer se assemelham na sua capacidade mental ao chimpanzé. Estas espécies, hoje extintas, tinham culturas e até preocupação com a forma como os seus mortos eram enterrados (H. neanderthalensis). Assim, qual a posição da Igreja?

Se alguem souber alguma coisa sobre este tema, por favor coloque aqui! Obrigado!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Josephus
Comodoro
Comodoro


Número de Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/07/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Seg 23 Jul - 18:42:58

Hehehe flower
Creacionismo ou Evolucionismo ???
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vm
Capitão de Mar e Guerra
Capitão de Mar e Guerra


Número de Mensagens : 29
Data de inscrição : 10/01/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Seg 23 Jul - 19:29:54

A questão do evolucionismo acho que nem se coloca, o que está aqui em causa é perceber desde quando é que o homem pode de facto ser chamado de homem não tanto na dimensão biológica mas na dimensão espiritual.

Pode parecer uma questão pouco importante, mas acho que é central para a definição do ponto de vista religioso do que é a humanidade. A questão tem também um pouco de filosofia pelo meio, já que no fundo também toca os problemas da relação do homem com as outras espécies e da importância relativa de cada um.
Enfim, acho que esta é ainda uma questão relevante agora que entrámos na contagem decrescente até que alguma equipa de investigação anuncie a descoberta de indicios de vida em algum de entre as centenas de exoplanetas (planetas fora do sistema solar) já descobertos. Aliás a NASA encontra-se a preparar missões com este mesmo objectivo, através da identificação de assinaturas características da vida. Aí então é que vai ser preciso um grande debate e se calhar um pequeno abanão em algumas 'verdades' com que hoje contamos!


Que evoluimos a partir de outras espécies, bem isso, acho que ninguém minimamente informado pode negar!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Josephus
Comodoro
Comodoro


Número de Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/07/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Seg 23 Jul - 20:13:41

Hope this will help you Laughing On your quest !
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Teixeira Rebelo
Comodoro
Comodoro


Masculino
Número de Mensagens : 35
Local/Origem: : Santa Maria e São Miguel - Sintra
Data de inscrição : 30/08/2006

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Qua 25 Jul - 20:04:46

Caro co-participante Dr. VM (biólogo? - Lisboa?)


Tocou num assunto muito interessante. A Evolução do Homem. Politicamente correcto será nem colocar em dúvida que houve um antepassado comum aos símios e ao Homem. No entanto, aproveito para dizer-lhe que tenho lido argumentos bastante contraditórios, quanto à Origem do Homem, e que me levam a ter uma posição anti- politicamente correcta.

Se por um lado se encontra referenciada a origem do Homo sapiens sapiens como tendo 37 mil anos, por outro lado (numa posição mais próxima dos Arqueólogos e muito mais afastada dos Historiadores), encontra-se referência, que indica que o Homem, tal como o conhecemos hoje, já existia à 6 milhões de anos. Outros textos vão ainda mais longe ao dizer que o Homem tem no mínimo 9 milhões de anos. Para me surpreender, encontrei textos que dizem que o Homem foi contemporâneo dos Dinossáurios. Como julgo que sabe, não há unanimidade quanto à Origem do Homem. Contudo, circulam duas grandes correntes para a explicar, a do Criacionismo e a da Evolução. Por sua vez, grupos religiosos, agarram-se mais a uma do que a outra, concretamente ao Criacionismo.

Recentemente (há meia dúzia de anos), foi encontrado um crânio feminino. Foi datado e concluiu-se que teria 300 mil anos, mas as diferenças entre ele e um duma mulher da actualidade eram nenhumas. Como com certeza sabe, muitos dos estudos que se efectuaram e dos quais se tiraram conclusões para uma tomada de decisão sobre a Origem do Homem, foram realizados sobre uma quantidade muito diminuta de fontes. Sabe que a famosa Luci (esqueleto incompleto), foi utilizada para diversas teses de doutoramento, mas quando alguém não ligado propriamente à universidade onde estava depositada também quis observar/estudar a Luci, esta desapareceu misteriosamente. Também são conhecidas as fraudes de Pierre Teilhard de Chardin, que limou uns ossos de chimpanzé e os de um esqueleto humano, para forjar dessa maneira o tal elo perdido entre o macaco e o homem. Todo este estudo da Origem do Homem tem um posicionamento teológico a tal ponto que uma publicidade de um refrigerante de coca em que aparece uma sequência de hominídeos em que o da esquerda tem uma posição mais parecida com um macaco o seguinte, mais elevado, e seguem-se uns aos outros, até que por último o surge o Homem. Julgo que se lembra desta figura. Pois bem, esta publicidade foi proibida em Israel.

O meu filho também é biólogo e dá aulas em Viana do Castelo. Aliás, é onde estou, com os meus netos, e foi esse um dos motivos porque não fui ao vosso encontro. Acontece que sempre estranhei um relato do meu filho, quando estudava em Coimbra, de que um tal professor americano, quisera dar uma aula especial, ao que os que assistiram não acharam nada de especial. O próprio prof. estranhou o facto dos portugueses não se encantarem com o assunto. O que aconteceu? Nos E. U. A. até há alguns anos atrás, era proibido falar-se na Teoria da Evolução de Darwin. Quando o prof. se apanhou fora da América resolveu falar no darwinismo aos alunos de Coimbra, como se fosse espalhar uma novidade, estes não encontraram nada de extraordinário, pois era matéria curricular do ensino unificado.

Por muita boa vontade que possa existir em se encontrar uma explicação para a Origem do Homem, a verdade consentida, será sempre uma verdade politicamente correcta, mais do que uma verdade religiosamente correcta.

Na Evolução das espécies, ao que parece há muita contradição. É o caso, por exemplo, dos tubarões que não se encontra qualquer evolução em milhões de anos, ou mesmo das girafas, nunca apareceu a girafa com o pescoço mais curto.

No entanto, admite-se que uma espécie tem capacidade muito elevada para se adaptar ao meio ambiente ou, caso seja muito especializada, essa capacidade diminui. Sobre condições de selecção poderá uma espécie enveredar por caminhos totalmente diferentes dos que enveredaria se fosse só uma questão de adaptação ambiental. O caso que escolho é o clássico lobo vs. cão.

Ao que se sabe o lobo (Canis lupus) e o cão (Canis lupus familiaris) são da mesma espécie, embora se considere o cão uma subespécie. O que se diz é que o DNA do lobo e do cão diferem em apenas um por cento. Quer-me parecer que Lobos e Cães são todos do mesmo Género e, portanto, da mesma Família (taxionómica).

Em relação à questão teológica, alguns indivíduos dum determinado grupo social, que pretende combater na “Sombra” a Igreja Católica, começaram a espalhar (sem a mínima certeza, mas a máxima convicção), a Teoria da Evolução, com um fito: «não precisais de rezar a Deus, pois nem fostes feitos à sua imagem e semelhança, sois antes o produto da evolução do macaco».


Atenciosamente,
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
encoberto
Comodoro
Comodoro


Masculino
Número de Mensagens : 40
Idade : 53
Local/Origem: : Vila Real
Data de inscrição : 09/12/2005

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Sab 28 Jul - 21:37:53

Tive muita pena não poder estar no nosso encontro. Irei ao seguinte. Os motivos que me impediram foram demasiado fortes. Pelo que soube, parece que se desviaram um pouco da ordem de trabalhos sendo porém o resultado final proveitoso.

O que me leva a retomar a participação nos fóruns sem o merecido descanso foi, além da disponibilidade readquirida, a seguinte frase de vm.

vm escreveu:
Que evoluimos a partir de outras espécies, bem isso, acho que ninguém minimamente informado pode negar!!

Caro vm

Alguns dos nossos colegas das universidades têm a mania de nos imporem esta “verdade” por si transcrita. Porém, se a Teoria da Evolução tivesse alguma credibilidade, já não se chamaria assim, mas antes Lei da Evolução. Como biólogo, caro vm, deve saber que tal ainda não faz parte dos Compêndios da Ciência e, portanto, temos todo o direito de a refutarmos e de nem nela acreditarmos.

Inclino-me para as posições de Teixeira Rebelo. Há, por estranho que possa parecer, uma tendência para que aceitemos, à custa de uma pressão psicológica, a Teoria da Evolução como se duma Lei da Ciência se tratasse.

No entanto, caro vm, quer nas duas situações, a da evolução ou a do criacionismo, não parecem ajudar a explicar a sua questão por muitíssimo interessante que seja. Como rapidamente adivinha, também não tenho a resposta. No entanto, interesso-me igualmente por obtê-la.

Neste mundo da Ciência, muitas das vezes em que se está a chegar a uma uniformidade em relação a incertezas de outrora, vem uma mudança repentina no rumo das respostas. O caso mais recente, dos que conheço, é o Big Bang. Esta história de João Magueijo dizer que a velocidade da luz tem vindo a diminuir e, portanto, não é a mesma da do início do universo, vem alterar a origem do próprio universo. Isto dito pelo próprio, embora não tenha percebido como isso afecta a Teoria do Big Bang. São mesmo questões para os físicos teóricos. Também na questão que coloca, de saber se os Homens primitivos tinham carácter teológico ou não e quando começam a ser considerados como tal, parece ser também uma questão em que nunca vamos ter certezas. São esses casos, os mistérios, que nos apaixonam e talvez seja noutro mundo que encontremos as respostas.

Com consideração,
Joaquim Filipe
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://amt.no.sapo.pt
Pedro Reis
Condestável-mor
Condestável-mor


Masculino
Número de Mensagens : 537
Idade : 43
Local/Origem: : Santa Cruz
Data de inscrição : 28/11/2006

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Dom 29 Jul - 2:48:21

Ainda não há quem esteja convencido que os Aborígenes australianos não sejam mais uma evolução acabada do Homo sapiens, mas sim do Homo neandertalensis. Justifaca-o a fisiologia própria dos mesmos, sob dois aspectos: insuficiente produção de insulina, por não terem um pâncreas ao nosso nível (ou mesmo nenhum!), terem um córtex cerebral maior que o nosso, mas sem a mínima capacidade creativa, só reproduzem o que vêm ou ouvem, mas são incapazes de imaginar o abstracto!!

Infelizmente estas condições, especialmente a primeira, torna-os perfeitamente adaptados ao seu meio ambiente, mas dá-lhes uma longevidade muito curta.

Partindo do princípio que sim que uns são mais Homo sapiens e outros mais Homo neandertalensis. Ambos são dotados de inteligência e vivem em sociedade, resta saber quem é Homem e quem tem alma? Laughing
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Beladona
Almirante
Almirante


Feminino
Número de Mensagens : 103
Data de inscrição : 09/01/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Dom 29 Jul - 15:31:54

Caros amigos

Já há algum tempo que acompanho esta interessante discussão, vou ousar dar a minha muito modesta opinião e desculpem-me se vou ser um pouco crua.

No meu modesto entender, e muito resumidamente, o ser vivo, que foi, é e será. Que era e se tornou, e por aí fora, e chega ao que é hoje. É e crê no que ele criou/criar, quiz/quizer ou precisou/precisar de acreditou/ar.

Nada mais do que isso.

O resto são acessórios criados por mentes iluminadas com diversos fins e interesses. Mas que ao longo do tempo têm-se tornado verdades inquestionáveis e uma benção para muitos e um pesadelo para outros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
leònidas_
Vice-Almirante
Vice-Almirante


Número de Mensagens : 96
Data de inscrição : 09/03/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Seg 30 Jul - 22:21:26

Eu creio que o criacionismo e o evolucionismo são as duas faces de um poliedro com mais faces...fiquemo-nos pela moeda das duas faces

O evolucionismo está correcto no campo biológico porque as espécies adaptam-se continuamente ao meio ambiente (ou desaparecem como o caso do passaro Do-do - português de doido, porque não voava mas caminhava de forma comica) por meio de acidentes genéticos (opinião mais recente)...é a teoria dos mais aptos

O creacionismo está correcto porque o Homem (e o criacionismo é particularmente especifico ao homem, porque só o homem é religioso portanto a explicação é só para os seus "olhos" ) é um acto da sua própria vontade, da sua fé em Deus, como pequena parte do todo (espirito santo) que segue o exemplo de Cristo

O problema é quando por motivos de porfunda ignorância,ou politicos se tentam por as duas na mesma

...nem o evolucionismo explica como um acidente genético pode perdurar, ou como duas populações distintas se podem fundir (o caro VM esqueceu-se de dizer que o "menino do lapedo" era um hibrido) ou como nunca ,até hoje ,foram encontrados os estádios intermédios da evolução...já para não falar no enorme problema dos cromossomas...mas nenhuma ciéncia se fez de um dia para o outro!

...Nem o creacionismo tem qualquer validade na explicação da origem e evolução biológica da humanidade...basta comparar as vulgatas mais antigas para se constatar as disparidades nas linhagens...mas a Biblia não é um tratado cientifico, nem a espiritualidade se constroi por meio de equações (ou equações diferenciais )...Adão e eva, foram os primeiros humanos e não os primeiros hominideos...o que nos remete para

o que é um ser humano...será um embrião um ser humano ?, será um humano com vários acidentes genéticos um ser Humano ? se encontrassemos o "elo perdido" ainda vivo, seria este um ser humano ?


se olharmos para as duas faces da moeda somos capazes de encontrar algo, mas o problema é que o equilibrio é perene e a moeda fatalmente irá cair para uma das faces

bem haja
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
IzNoGuud
Almirante da Armada
Almirante da Armada


Masculino
Número de Mensagens : 258
Data de inscrição : 26/12/2006

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Ter 31 Jul - 2:39:12

lol
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.monarquicos.com
vm
Capitão de Mar e Guerra
Capitão de Mar e Guerra


Número de Mensagens : 29
Data de inscrição : 10/01/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Ter 31 Jul - 18:32:39

leònidas_ escreveu:
...nem o evolucionismo explica como um acidente genético pode perdurar, ou como duas populações distintas se podem fundir (o caro VM esqueceu-se de dizer que o "menino do lapedo" era um hibrido) ou como nunca ,até hoje ,foram encontrados os estádios intermédios da evolução...já para não falar no enorme problema dos cromossomas...mas nenhuma ciéncia se fez de um dia para o outro!


O facto de não encontrarmos as formas intermédias não é propriamente significativo, já que o registo fóssil é extremamente incompleto.

Atenção, que eu não digo que a teoria da evolução é inquestionável, até porque, em ciência, não existem dogmas!
Agora o que me parece para além de qualquer duvida é a evolução das espécies a partir de alterações nas suas populações. Claro que os mecanismos apresentados por Darwin estão já francamente desactualizados, mas o príncipio em que assentam, esse permanece firme.

Aliás, parece-me bem mais interessante conceber a evolução da vida na Terra enquanto um fluxo continuo de avanços e recuuos, baseados em regras quase infaliveis (e que podem ser atribuidas a Deus), do que achar que Deus criou tudo na forma definitva.
Aliás existem vários exemplos da selecção natural no nosso tempo, e que estão documentados, incluindo aquele exemplo clássico das borboletas que escureceram por altura da revolução industrial, porque a versão clara,antes mais abundante, passou a ser mais facil de detectar nas cascas das árvores enegrecidas pelos fumos industriais....

A definição de humanidade, partindo da certeza que existiram outras espécies de hominideos é importante, porque nós próprios, hoje, estamos a evoluir.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
vm
Capitão de Mar e Guerra
Capitão de Mar e Guerra


Número de Mensagens : 29
Data de inscrição : 10/01/2007

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Ter 31 Jul - 18:37:23

Teixeira Rebelo escreveu:

Na Evolução das espécies, ao que parece há muita contradição. É o caso, por exemplo, dos tubarões que não se encontra qualquer evolução em milhões de anos, ou mesmo das girafas, nunca apareceu a girafa com o pescoço mais curto.

Bem, a evolução dos tubarões é um assunto interessante, e não é totalmente verdade que não haja evolução, ao longo do terciário e quaternário houve alterações significativas em várias espécies de tubarões! Quanto às girafas, talvez por estarem bem adaptadas não precisem de pescoços curtos.


Em relação aos géneros, há quem proponha a inclusão do homem e chimpanzé num único género, devida à pequena diferença no nosso DNA (partilhado em mais de 90%). Pessoalmente não sei se será uma boa ideia, mas de facto existem espécies mais distantes agrupadas num único género. (Mas também não podemos esquecer que o único grupo reconhecido pela natureza é a espécie, pois é a unica que permite o cruzamento com descendencia fértil, todas as restantes categorias já são fruto da nossa constante luta por dar categorias ao que nos rodeia.)

A teoria do 'design inteligente' pode criar pontos onde as duas visões tradicionais se toquem, mas levanta outros problemas complicados ( e daí me levar a pensar que o design inteligente não vai trazer muito de novo). Por exemplo Marte, os 'rovers' da NASA têm andado a procurar vestigios de água e vida microscópica que possa ter existido. Estes são, aliás, um dos principais objectivos da pesquisa feita naquele planeta. Admitindo que se encontram vestigios de microorganismos de uma era remota nesse planeta, como fica o 'design inteligente', qual o objectivo de criar vida, para depois a deixar morrer (isto do ponto de vista do 'design inteligente' que advoga uma função para os organismos vivos). Aliás a intervenção de Deus em momentos particulares não é necessária, porque ao fazer a criação, Deus saberia imediatamente o curso de toda a história do universo. Assim a definição das regras 'físicas' bastariam para definir a evolução do universo e, assim, da própria vida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedro Orleans Reis
Marinheiro
Marinheiro


Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 14/11/2008

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Sab 15 Nov - 4:09:11

A primeira vez que eu ouvi falar em Criacionismo foi há alguns anos,
quando uma prima, com curso superior na área biomédica, mas criada
na Igreja Batista e muito atuante na sua congregação, fez casualmente
uns dois ou três comentários que me permitiram entender que ela
acreditava literalmente no dilúvio bíblico e na historinha da arca
de Noé. Uau!

Bom, eu nunca antes tinha visto ou percebido alguém que acreditasse
na arca de Noé como um fato histórico. Um dilúvio cobrindo todos os
continentes e a fauna e flora inteira do planeta sendo salva graças
a preservação de seus examplares em um grande barco. Isso pra mim
soava como um adulto esperando receber presentes de Natal do Papai
Noel. Como era possível?

De lá pra cá comecei a prestar mais atenção nisso e fui descobrindo que
a minha prima não era uma aberração. Uma quantidade enorme de pessoas,
em pleno século 21 acha mesmo que houve um dilúvio que cobriu toda
a Terra e os animaizinhos foram todos salvos embarcando em um navio de
um velhote de 600 anos. Hoje talvez essa crença já seja compartilhada
pela maioria das pessoas no Brasil. Nos Estados Unidos sabemos que sim.

A medida que fui conhecendo melhor o Criacionismo ( e os criacionistas! )
foi ficando cada vez mais claro para mim que interesses se articulavam
por trás dessas idéias, de onde elas vinham e o nível de organização do
movimento. Talvez Você que me lê saiba alguma coisa sobre isso, sobre o
grande debate quando Darwin lançou o seu "Origem das Espécies", as disputas nas côrtes americanas na década de 20, porém o neo-criacionismo difere muito dos antigos embates, quando religiosos ingênuos, munidos apenas de retórica e citações bíblicas, tentaram desacreditar o método e as evidências científicas.

O neo-criacionismo ressurgiu das cinzas como Fênix na década de 60, quando já se acreditava morto, e com fôlego e estratégias renovadas. Mas antes de ser capaz de ler nas entrelinhas do discurso criacionista é preciso entender como tal fenÔmeno se deu.

Desde o início as denominações evangélicas se sentiram muito ameaçadas pelo darwinismo, e se alguém já frequentou alguma dessas igrejas pode entender facilmente por quê. O Protestantismo, ao contrário da Igreja Católica, usa a bíblia de uma maneira muito mais literal. Não faz muito tempo a leitura da bíblia nem era hábito entre católicos, pois esta só podia ser impressa em latim. A Igreja também usa muito da sua própria história, a vida dos santos, dos mártires, os heróis católicos, e na pregação católica o foco recai mais sobre o Novo Testamento, enquanto que no Velho Testamento admite-se uma leitura mais simbólica.

Já nas evangélicas é totalmente diferente. Historicamente, quando surgiram, acusavam o catolicismo de desvirtuar as Escrituras, promoviam um reencontro com o que acreditavam ser a verdadeira fé, mais fiel à Palavra, estimulavam a leitura da bíblia e garantiam que dela qualquer um poderia depreender a Palavra de Deus, sem necessidade da intermediação de autoridades eclesiásticas.

Por consequência a referência literal se tornou muito mais importante na
teologia protestante que também usa mais o velho testamento, dá maior
importância ao papel do diabo... essa coisa toda... Em um sermão evangélico o pastor sempre vai pinçar um fragmento do texto, respeitando o contexto ou não, e usar aquilo como lei para embasar qualquer conclusão a que esteja querendo chegar. Desde proibir a doação de sangue até pagamento de dízimos.

Dá para entender porque tanta resistência a uma interpretação mais simbólica da bíblia, ou mesmo a que os fiéis vejam as Escrituras de uma forma mais relativizada. Isso tiraria muito da força do discurso do pastor e da própria religião.

Este talvez seja o cerne da questão criacionista, a importância da literalidade bíblica para muitas denominações evangélicas, porém não se resume a isto. Também uma parcela significativa e conservadora da sociedade norte-americana,identificada com os valores cristãos evangélicos, viu a sua influência ideológica e política
na sociedade ser diminuída ao longo do século por algo que eles identificaram como sendo uma visão mais liberal, relativista e materialista do mundo. O criacionismo ressurge então como uma reação a tudo isto.

Na década de 70 o criacionismo vai encontrar um novo e valoroso aliado que vai dar um grande impulso ao movimento: o lobby sionista.

Os sionistas vão enxergar no fundamentalismo cristão uma maneira muito mais eficiente de estender o apoio dos norte-americanos à causa do sionismo.
O Estado de Israel, com seu apelo de realização profética, de confirmação
das Escrituras,o papel do povo judeu no plano da salvação, tudo isso poderia ser muito bem trabalhado perante uma opinião pública fundamentalista cristã.

Não é tão fácil justificar a criação de Israel, a sua expansão, a sua política
nos territórios ocupados e tratamento dispensado aos palestinos com base no Direito Internacional e no senso comum de justiça. Difícil tb justificar do
ponto de vista dos interesses estratégicos a tendenciosa política externa
americana em favor de Israel. É muito fácil, no entanto, justificar tudo
isso e ainda angariar simpatias incondicionais para a causa com o apelo
religioso.

Com efeito, a bíblia diz que no final dos tempos todos que ficarem contra
Israel serão destruídos. Com certeza alguém que acredite na arca de Noé
vai levar muito a sério esta advertência.

No site e no vídeo que vc pode ver nos links abaixo há exemplos de como
igrejas fundamentalistas se prestam bem a este papel.

http://www.chamada.com.br/


http://www.youtube.com/watch?v=vGPFrKQZT7Y&feature=PlayList&p=E5D7D548F3BD9006&index=11


Na verdade a jornalista Victoria Clark escreveu um livro muito interessante
investigando a fundo estas relações.

Allies for Armageddon: The Rise of Christian Zionism - Londres, Yale University Press, New Haven, 2007


É da conjunção de três grandes interesses - religiosos, conservadores e sionistas -
que o fundamentalismo cristão retira sua força.

http://br.youtube.com/watch?v=5CgvgjfwyPs

As religiões pentecostais, com sua capacidade de doutrinação e
indução do fanatismo, conservadores com seu poder político e o lobby sionista com a sua já historicamente conhecida poderosa influência em setores estratégicos da sociedade americana, como a política, mídia, economia, etc...

Há pouco tempo um documento intitulado A Estratégia da Cunha,
descrevendo em certo nível de detalhe um plano de ação política para remodelar toda sociedade norte-americana segundo valores conservadores cristãos, vazou do Discovery Institute, quartel general do Design Inteligente,fechando o quadro todo de maneira coerente da forma como ele já parecia se desenhar para muitos observadores atentos da controvésia Criacionismo x Evolucionismo.

http://en.wikipedia.org/wiki/Wedge_strategy

Embora as implicações deste projeto político sejam importantes até hoje há
muito pouca discussão a respeito e o viés político do criacionismo tem sido
bastante subestimado. A estratégia consiste em obter um determinado grau de influÊncia em vários setores da sociedade que os permita virar o jogo contra o pensamento "materialista". Inclusive se estabelecendo como uma visão importante ou até dominante dentro da própria comunidade científica.

A Atuação do Movimento Criacionista na Arena Jurídica nos EEUU.

A princípio lutaram para barrar o ensino daquilo que consideram o seu grande inimigo nas escolas, a TE ( Teoria da Evolução ), mas foram derrotados nos tribunais. Quiseram então implantar o ensino da criação lado a lado com a TE. Não conseguiram por ser inconstitucional.

Nova tentativa foi feita dando uma cara "científica" ao mito da Criação.
Não funcionou, a Suprema Côrte barrou também.

O interessante aqui é entender como isso explica essas teorias malucas, como a das hidroplacas que supõe a crosta terrestre tenha no passado flutuado sobre uma lâmina de água salgada, para dar uma origem as águas do Dilúvio.
Porque imaginar uma lâmina de água abaixo da crosta terrestre se é tão difícil fazer isso funcionar do ponto de vista da Geologia? Ora, um criacionista não deveria inventar esse tipo de problema. Com um Deus todo poderoso seria simples Ele fazer cair toda a água do céu por milagre e depois sumir por milagre também.
Todo esse esforço para envolver o mínimo possível de milagres ou até nenhum milagre se deve ao fato dessa nova abordagem estar tentando "vender" o mito da Criação como teoria científica. Era uma jogada jurídica! Que tb não deu certo.

A próxima cartada jurídica foi tentar inverter o argumento. Com um professor processando o estado por obriga-lo a ensinar "religião evolucionista", o que seria inconstitucional. Também não deu certo mas o resultado desta nova ofensiva é que os criacionistas incorporaram novas palavras no seu vocabulário e agora chamam a TE de religião, credo, etc...

A última ofensiva é o DI: o criacionismo bem camuflado. Com isso esperam
finalmente poder "infiltrar" gente deles nas escolas, universidades,
instituições de ensino, bem no espírito da estratégia da cunha de forçar
uma abertura para que o Criacionismo possa gradativamente se reestabelecer.

As técnicas utilizadas pelos criacionistas estão longe de serem consideradas
éticas. Eles se valem sistematicamente de argumentos faláciosos, da meia
verdade e até da inverdade para induzir no público leigo conceitos errôneos
sobre tópicos de natureza científica. Citações de pesquisadores fora do
contexto ou até mesmo ligeiramente torcidas são bastante comuns, também usam e abusam de dados incorretos, de pesquisas com erros mesmo após estes erros já terem sido identificados e corrigidos e fontes de pouco crédito. Basicamente os criacionistas procuram explorar o pouco conhecimento em assuntos científicos das pessoas em geral e até a ignorância sobre o que seja o próprio conceito de Ciência e seu método para forjar uma visão distorcida de qualquer tema que estejam determinados a desacreditar.

Um exemplo disso podemos ver neste próprio fórum. "encoberto" argumenta
que a Teoria da Evolução é "apenas uma teoria", portanto sem ter ainda
alcançado a necessária validação científica que a alçaria ao status de
"Lei".

"Porém, se a Teoria da Evolução tivesse alguma credibilidade,
já não se chamaria assim, mas antes Lei da Evolução."

Isto é um absurdo!Ele não poderia estar mais enganado, no entanto "encoberto" não tirou estas considerações de sua própria cabeça, este tipo de desinformação tem sido amplamente disseminado por todos os meios pelos propagandistas do DI e do criacionismo.

Mas Uma teoria científica não é algo com que alguém sonhou depois de passar a noite inteira bêbado. Não é uma coisa descabida, aleatória, um conjunto de hipóteses sem maior fundamentação. Uma teoria para ser considerada científica precisa passar pelo rigoroso crivo do método científico.
Ao contrário do que o forista sugere não existe nada superior na Ciência
a uma teoria e em nenhum caso uma teoria se transforma em lei.

Você não vê ninguém afirmando que a Teoria Gravitacional é "apenas uma
teoria" e em seguida se atirando da janela de um décimo andar só para
ver no que dá. A Teoria Gravitacional de Einstein é "apenas uma teoria"
na medida em a Teoria da Evolução de Darwin também o é.

O Sr. "encoberto" se arriscaria a se jogar do alto da Torre do Tombo
achando que a Teoria Gravitacional não tem nenhuma credibilidade só
por ser chamada de teoria científica?

"encoberto" é mais uma vítima da ampla campanha de desinformação
promovida pelos criacionistas.

Um outro questiona o fato de tubarões não terem evoluído duante milhões
de anos caindo simutaneamente em duas armadilhas da retórica criacionista.

A primeira é que não é exatamente verdadeiro que tubarões não tenham se
modificado em nada durante milhões de anos, mas os criacionistas adoram
esquecer detalhes fundamentais como estes quando tecem seus argumentos.

A segunda mostra como a propaganda criacionista faz uso abusivo das
palavras para interpretar as coisas do modo que lhe convém. A Teoria
da Evolução também poderia ter se chamado Teoria da Adaptação porque
em nenhum momento Darwin diz as espécies devem sempre ficar cada vez
mais inteligentes, maiores, mais complexas e mais rápidas. Não é nada
disso! A teoria supõe que as espécies se adaptem às mudanças do meio
ambiente por intermédio de mecanismos como o da seleção natural. Do
ponto de vista do darwinismo a espécie sucessora do Homo Sapiens poderia
até a vir a ser menos inteligente que o homem atual se isto vier a se
constituir em uma vantagem para a sua sobrevivência.

Então não há nenhuma contradição entre uma espécie sofrer pouca
transformação durante milhões de anos e o que postula a Teoria
da Evolução, uma vez em que há casos em que as características
atuais da espécie podem continuar a ser eficientes do ponto de
vista da sobrevivência, mesmo quando há modificações no meio.
Este foi o caso dos tubarões, esta excepcional máquina de matar.

O termo Evolução vem do fato de Darwin ter constatado que as
espécies atuais evoluíram a partir de espécies primordiais
menos complexas. Mas perceba como os criacionistas retiram
a palavra do seu exato significado para induzir ao erro!

Teixeira Rabelo foi mais um enganado por este estratagema desonesto.

Já o forista leónidas caiu no golpe da ausência dos fósseis intermédios.

Fósseis intermédios já foram encontrados e em quantidade enormes, porém
eles são muito mais raros que os fósseis comuns, como seria de se esperar,
já que a fossilização é um fenômeno muito raro e as formas intermediárias
não devem ter existido por grande espaço de tempo. Mas os criacionistas
não citam estas duas coisas.

Para ver alguns fósseis intermédios entre a grande quantidade que já foi
encontrada clique no link abaixo.

http://clubecetico.org/forum/index.php/topic,3463.0.html

E assim vai o criacionismo disseminando a ignorância...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pedro Orleans Reis
Marinheiro
Marinheiro


Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 14/11/2008

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Sab 15 Nov - 4:15:18

Outro ponto onde procuram causar confusão explorando o desconhecimento
do público leigo diz respeito a diferença que existe entre fato científico
e teoria científica. A evolução das espécies é um fato científico demonstrado a tal ponto por um colossal conjunto de evidências que está além de qualquer dúvida razoável supor que esta não tenha ocorrido. A Teoria da Evolução é "apenas uma teoria" científica que procura explicar como a evolução se deu.
Eles atacam a teoria sugerindo que estão atacando o fato científico, misturando propositadamente duas coisas diferentes.

Da mesma forma que a gravidade é um fato científico e a Teoria da Gravitação é "apenas uma teoria" (como eles gostam de dizer) a teoria de Darwin é um conjunto de hipóteses extensivamente testadas explicando como o fato científico da evolução aconteceu.

Ao contrário do que eles sugerem não há no meio científico nenhuma controvérsia a respeito da evolução ocorrer e ter ocorrido e há praticamente um consenso a respeito dos fundamentos gerais da Teoria da Evolução estarem corretos.

Por estas razões também a Igreja Católica, que é competentemente assessorada em assuntos científicos, já que a Academia de Ciências do Vaticano possui nada menos que 10 prêmios Nobels, aceita oficialmente a Evolução e compreende perfeitamente que o livro de Gênesis é um relato místico e simbólico, não se constituindo em um tratado científico ou em um relato histórico como querem os criacionistas pentecostais.

Com efeito, Deus não teria levado o primeiro homem ao campo para que ele
nomeasse pessoalmente todos os animais da Criação. Todas as dezenas de
milhões de espécies, como está escrito na Bíblia. Isto seria inútil e
estúpido, e certamente os católicos não querem crer em um deus imbecil.
Adão teria ficado anos ocupado a dar nomes a milhões de animaizinhos,
a maioria vivendo em outros continentes, e que nem ele nem sua descendência veriam novamente. E pra quê?

Ao assumir literalidade onde ela não existe o criacionismo perverte a essência da mensagem bíblica perdendo a beleza e o profundo significado de seu simbolismo.

Na verdade por trás das estapafúrdias idéias criacionistas se esconde um
plano ambicioso, totalitário e hegemônico, do pentecostalismo. Tanto no
plano político quanto no religioso a meta é impor-se de uma forma absoluta,
agindo agressivamente contra outras religiões, notadamente a católica,
e qualquer outro segmento social, mesmo a comunidade acadèmica e científica, que seja visto como um obstáculo ao seu projeto autoritário de poder, não importando que os meios utilizados para isto sejam os mais desonestos e anti-éticos possíveis.

No Brasil graças a "teologias" bizarras como a da prosperidade e táticas
agressivas contra outros credos religiosos os criacionistas em poucos
anos conquistaram 30% dos fiéis, mas o vídeo linkado abaixo dá uma
idéia de como eles se relacionam com interpretações teológicas
diferentes.

http://www.youtube.com/watch?v=VpPwWEsk0OY

O Criacionismo é a ideologia de um projeto político que para se impor
pretende passar por cima de qualquer coisa, até mesmo da verdade bíblica
e científica.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
alexandrapereyra
Marinheiro
Marinheiro


Feminino
Número de Mensagens : 1
Idade : 27
Local/Origem: : Avanca
Data de inscrição : 12/11/2009

MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Ter 17 Nov - 18:00:35

Citação :
mas a Biblia não é um tratado cientifico, nem a espiritualidade se
constroi por meio de equações (ou equações diferenciais )...Adão e eva,
foram os primeiros humanos e não os primeiros hominideos...

Concordo, mas o caso ''Adão e Eva'' ainda continua a ser uma grande incógnita... Como poderíamos nós (refiro-me à Teoria Cristã, claro) descender de Adão e Eva se o que se consta é que só tiveram filhos, um matou o outro... Ora bem... Como é que veio a descendência? A Igreja não aceita o Incesto... Logo a dita ''Linhagem'' acabaria em Adão e Eva (mesmo que tivessem filhas, porque era incesto na mesma).

Prefiro manter a minha pequena crença na Teoria da Evolução... enquanto não encontrarem outra melhor...

Em relação às potênciais crenças religiosas que essa espécie possa vir a ter, há uns anos atrás li uma frase (acho que foi num livro chamado "Os criadores de Deuses", nem sei o nome do autor, para ser sincera) que dizia parecido com "O ser Humano tem a necessidade mórbida de se sentir hierárquicamente controlado. Acima do escravo está o senhor, acima do senhor está o Rei, acima do Rei, está um Deus. " (a frase não é exactamente assim, mas como não encontro o livro, escrevi mais ou menos o que me lembro.)

Se a espécie tiver uma hierárquia definida, é provável que adopte uma determinada crença religiosa.
Psicológicamente, é um argumento válido. Mesmo nos animais (que nós chamamos de irracionais porque não falam como nós nem andam com duas pernas), temos um subordinativo e um subordinável.


PS: Lamento imenso se o meu texto tiver erros ortográficos, mas é que já não escrevo em Português há bastante tempo. ( sou de Portugal, vivo em Portugal, mas ultimamento tenho praticado mais o meu castelhano e o meu Inglês.)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Questão teológica   Hoje à(s) 0:45:46

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Questão teológica
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Crentes que Fumam? e Pastores? - Essa história é antiga e teológica. Rsrsrs
» 12 perguntas para os inimigos dos 10 Mandamentos da lei de Deus
» Big chop: Fazer ou não fazer, eis a questão.
» MIKE EM TRAJE DE GALA!!! (Uma foto por dia em OUTUBRO - pelo Aniversário)
» PREDESTINAÇÃO -Calvinista levou Uma Surra de Lógica e Análises Textuais

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
MONARQUIA TRADICIONAL :: GERAL-
Ir para: